Seção de Cultura e Extensão
Seção de Cultura e Extensão
Seção de Cultura e Extensão
Projetos Assistenciais

1 – Subunidade do ICB em Monte Negro, Rondônia

Atividades atuais do ICB5

a) Pesquisa na área de doenças negligenciadas: malária, leishmaniose, filarioses, toxoplasmose, micoses profundas e doença de Chagas.

b) Ambulatório Médico Especializado da USP – atendimento médico de doenças tropicais com acadêmicos de medicina, enfermagem, biomedicina, odontologia e fonoaudiologia de Rondônia e outros estados. Além das atividades mensais, há 2 grandes eventos anuais que reunem 80 acadêmicos cada atividade. Meses de janeiro e julho de ecada ano.

c) Atividades de pesquisa e assistência nos estados de Acre (Assis Brasil) e Lábrea (Amazonas)
Capacitação de Agentes de Saúde do PSF a assessoria ao Município de Monte Negro na área de medicina da família e comunidade e prevenção de doenças

d) Laboratório clínico e de pesquisa, consultórios médicos, internet wireless e centro de computação, videoconferência, insetário, alojamento para 60 alunos e auditório.

 

2 – Laboratório Avançado em Acrelândia, Acre

Em convênio com a Prefeitura de Acrelândia, pesquisadores e alunos do ICB mantém um Laboratório de Atendimento e Pesquisa em Malária. Além disso realizam atendimento médico e laboratorial que beneficiam a população deste município.

Com os limitados recursos da prefeitura e de algumas entidades públicas, conseguiu mudar radicalmente o panorama sanitário dos município.

 

3- Laboratório de Campo em Juazeiro, Bahia

O Posto avançado de pesquisa em Mosquitos Geneticamente Modificados do Vale do Rio São Francisco, localizado na cidade de Juazeiro, Bahia, é uma parceria entre o ICB e a biofábrica Moscamed Brasil. Obteve a certificação da CTNBio no segundo semestre de 2010. Esse laboratório tem como objetivo a produção em larga escala de mosquitos geneticamente modificados (MGM) para o projeto piloto PAT – Projeto Aedes transgênico. Os machos transgênicos produzidos são liberados no campo com o intuito de promover supressão de população e reduzir os casos de doença na área. Atualmente são produzidos aproximadamente 400 mil mosquitos machos, para a liberação e aproximadamente 2,5 milhões de ovos por semana. Essa parceria conta ainda com os agentes de controle da prefeitura da cidade de Juazeiro (BA) para avaliar o resultado das liberações semanais.

Seção de Cultura e Extensão - USP/ICB